sábado, 11 de junho de 2016

Prefácio ao livro "Recinfância e outros poemas", de Risomar Fasanaro - João dos Reis







Um livro de poesia é sempre um novo olhar sobre o nossa existência e os mistérios do universo.

O tão esperado livro de Risomar Fasanaro com 34 poemas foi uma feliz redescoberta da paixão pela palavra – que é sempre um instrumento para revelar os segredos do nosso destino.

Há poemas curtos, mas carregados do sentimento de desolação:

Coração despedaçado
cacos numerados
difícil será
juntar os cacos”.

E a procura inglória de dias menos soturnos:

felicidade:
gaivota de crepom
contra a tempestade”.

Estamos condenados à tristeza? Em um dos mais belos, a poetisa escreve:

não queria que viesses
coberto de neblina
logo agora que estou
livre das tempestades
não queria que fosses noite
logo que agora em mim
tantas luzes se refletem
não queria tuas mãos atadas
logo agora que as minhas
livres se estendem pra ti.

A arte de construir palavras e organizá-las em versos é para os que encontram a magia da vida. Desvendar a imaginação exige paciência, rigor – e a sabedoria dos poetas, os magos da linguagem. É com a arma do poema que podemos lutar contra as misérias do cotidiano. Quem de nós conseguirá vencer as batalhas diárias? Somente um anjo será capaz de levar a dor dos desvalidos, a solidão dos desolados, a dor dos desesperados para aonde a dor não existe? (Poema “O anjo”).

Há uma retomada do engajamento da escritora-poeta em alguns poemas que recordam personagens da história da resistência contra a ditadura militar no Brasil: José Domingues da Silva (“Amigo”), Theodomiro Romeiro dos Santos (“in-dependência”), Helenira Resende de Souza Nazareth (“Ave de arribação”). As recordações da sua infância na sua cidade natal, Recife, e a chegada a Osasco, estão presentes em outros (“recinfância”, “primeiro natal em sp”, e “Chegada a São Paulo”).

Sãos os poetas que nos interrogam : estamos destinados à solidão? A resposta: eles não nos devolvem nossos corações destroçados. Mas dizem, não estamos abandonados: eles nos dão a poesia para construir o futuro com arte e beleza – e a coragem para realizar os sonhos e redescobrir a felicidade perdida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário